Policial

Casal que se passava por servidores do Tribunal de Justiça do Amapá para aplicar golpes é preso em ação conjunta no Ceará








22 de junho de 2022 – 15:20
# # # #



Uma operação interestadual intitulada “Golpe dos Precatórios” desencadeada pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) e pela Polícia Civil do Amapá (PC-AP), resultou, na manhã desta quarta-feira (22), no cumprimento de mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão em desfavor de um casal que se passava por servidores do Tribunal de Justiça do Amapá para aplicar golpes. As prisões ocorreram em Maracanaú – na Área Integrada de Segurança 12 (AIS 12) do Ceará. Seis aparelhos celulares, um notebook, uma maquineta e três pendrives foram apreendidos.

Durante as investigações, coordenadas pela Delegacia de Repressão Contra Crimes Cibernético da Polícia Civil do Amapá (DRCCIBER), com apoio da PC-CE, foi constatado que os suspeitos se identificavam como servidores do Tribunal de Justiça de outro Estado e aplicavam golpes em servidores públicos do Ceará cobrando adiantamento de quantias para liberação de precatórios. Ainda segundo informações policiais, estima-se que as vítimas tenham sofrido prejuízo de pelo menos R$ 150 mil reais.

Os alvos, um homem de 23 anos, com antecedentes criminais por crimes de tentativa de homicídio, furto, dano e duas lesões corporais, e uma mulher de 37 anos, até então sem antecedentes, foram capturados no Maracanaú/CE. Na ocasião, equipamentos eletrônicos foram apreendidos. O casal foi conduzido para a Delegacia Metropolitana de Maracanaú, onde as ordens judiciais foram cumpridas. Agora, eles permanecem à disposição da Justiça.

Denúncia

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As informações podem ser direcionadas para o telefone (85) 3101-2830, da Delegacia Metropolitana de Maracanaú.

As denúncias podem ser feitas ainda para o número 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, pelo qual podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia. O sigilo e o anonimato são garantidos.




Fonte: SSPCE

Mais Notícias

Botão Voltar ao topo