Ipu NoticiasÚltimas Notícias

Morcego de pênis gigante faz sexo por até 13h e usa membro como 3º braço Blog


 O Eptesicus Serotinus, conhecido como morcego-hortelão-escuro, tem pênis gigante e faz sexto por até 13 horas

 

O morcego da espécie Eptesicus serotinus, ou
morcego-hortelão-escuro, pode chegar a 38 centímetros e os pênis dos
machos medem cerca de ¼ do seu corpo. As fêmeas, por sua vez, têm uma
vagina sete vezes menor que o membro masculino.

Por conta dessa
disparidade, a reprodução dessa espécie ocorre sem penetração sexual,
sendo o único mamífero que se acasala dessa forma.

Além disso, a cabeça do pênis se expande em formato de coração. “Não
há como penetrar nessa estrutura”, disse Nicolas J. Fasel, que liderou
estudo publicado na revista Current Biology.

Foram
registrados 93 casos de acasalamento no sótão de uma igreja holandesa e
quatro eventos em um centro de reabilitação ucraniano. Os casos foram
registrados por Jan Jeucken e compartilhados com o pesquisador por meio
de e-mail.

Ao abrir a mensagem, Fasel se surpreendeu. Na verdade, o
conteúdo estava repleto de vídeos mostrando os acasalamentos entre
animais. Fasel disse que a “paixão de Jeucken fez dele o melhor
observador para entender os morcegos” e, durante os estudos, Jeucken foi
reconhecido como coautor.

Espécie de morcego faz sexo por até 13 horas

Morcego tem pênis gigante e faz sexo por até 13h
Morcego tem pênis gigante e faz sexo por até 13h Crédito: Current Biology

Durante
o ato, que dura em média 50 minutos, mas pode chegar até a 13 horas, os
machos agarram as fêmeas pela nuca e usam seus pênis como um braço
extra para envolver e remover uma grande membrana utilizada para
proteger a vagina, disseram os especialistas.

Com sexo sem
penetração, esses morcegos envolvem-se em um acasalamento por contato,
no qual o esperma é transferido simplesmente esfregando os órgãos
genitais, um comportamento nunca antes documentado em mamíferos.

Neste abraço longo chamado “acasalamento por contato”, é o momento em
que o sêmen é transferido, sem que os cientistas tenham certeza de como
ele é produzido. O que se pode confirmar é que o abdômen da fêmea
contém restos destes fluidos.

Este ato de reprodução também é
proeminente nas aves e é conhecido como ‘beijo cloacal”. Foi a primeira
vez que esse ato foi observado em mamíferos.

 

 

(O Povo)


Fonte: Ipu Noticias

Mais Notícias

Botão Voltar ao topo